A solução definitiva para um problema complexo

A segurança na indústria alimentar e farmacêutica vê-se ameaçada por um dos principais problemas da actualidade, como é a aderência dos microrganismos às superfícies, fenómeno conhecido por biofilme.

Os biofilmes são comunidades complexas de microrganismos capazes de colonizar e aderir-se sobre a maioria das superfícies (hidrófobas e hidrófilas, bióticas e abióticas) graças à produção de substâncias poliméricas extracelulares (SPE) que lhes facilitam o seu desenvolvimento posterior. Um biofilme maduro constitui uma fonte de contaminação crítica, devido à protecção que lhe conferem as SPE, e difícil de eliminar já que apresentam uma alta resistência aos procedimentos de limpeza e desinfecção convencionais. Podem encontrar-se em todos os ambientes onde naturalmente existem bactérias: no meio ambiente natural, clínico ou industrial, visto que só necessitam um meio hidratado e uma mínima presença de nutrientes para se desenvolverem. ITRAM HIGIENE em parceria com a Universidade Autónoma de Barcelona (UAB) e diferentes centros tecnológicos têm levado a cabo um projecto de investigação e desenvolvimento baseado no estudo dos biofilmes, como são e como podemos eliminá-los.

Os biofilmes podem combater-se com moléculas produzidas de forma natural

O objectivo do nosso trabalho tem sido encontrar moléculas antibiofilmes produzidas de forma natural para o desenvolvimento de produtos de higienização, ou seja, substituir os químicos tradicionais e obter produtos altamente biodegradáveis e menos agressivos. Assim as indústrias protegem o meio ambiente, a saúde dos colaboradores afectos à limpeza, as suas instalações, aumentam a segurança laboral e, por sua vez, garantem a higiene das suas instalações.

Na procura das moléculas antibiofilmes verificaram-se várias alternativas para interferir nas distintas fases de formação de um biofilme como são a utilização de:
· Microrganismos benignos que competem com os microrganismos indesejáveis (patogénicos ou de deterioração) para evitar colonização (formação da colónia).
· Tensioactivos produzidos pelos mesmos microrganismos que não permitem na adesão na superfície.
· Moléculas que interferem na “Quórum Sensing” (comunicação entre as células dentro do biofilme)
ou
· Enzimas que quebram as ligações das substâncias poliméricas extracelulares e assim degradam a matriz que protege o biofilme.

Itram Higiene distingue-se das soluções classicamente utilizadas na higiene da industria alimentar

A nossa tecnologia na eliminação de biofilmes oferece uma solução inovadora, combinando tecnologias enzimática e química tensioactiva, convertendo-a numa tecnologia exclusiva no mercado.

Natureza das enzimas

As enzimas são proteínas que transformam de forma irreversível a matéria orgânica em pequenos resíduos solúveis em água. Além disso, ao serem produzidas naturalmente são completamente biodegradáveis.

As enzimas utilizadas na gama da ITRAM HIGIENE actuam especificamente sobre as substâncias poliméricas extracelulares (SPE) que formam a estrutura da biopelícula, degradando-a e permitindo que o detergente elimine a biopelícula, deixando as bactérias expostas para que possam ter facilmente eliminadas na fase de desinfecção.

A nossa gama de produtos enzimáticos está desenhada para a eliminação de biofilmes nas instalações de qualquer tipo de indústria agro-alimentar, farmacêutica, química, redes sanitárias e colectividades.

Oferecemos diferentes tratamentos e protocolos de higiene, específicos para cada caso.

Vantagens dos nossos produtos:

· Actuam a pH neutro.

· Não são corrosivos para os materiais das superfícies.

· Representam um baixo risco de exposição para o operário.

· A sua composição é facilmente biodegradável.

· Têm um impacto ambiental positivo.

· Eliminam eficazmente os biofilmes.

· Uma vez eliminados os biofilmes, previnem o seu reaparecimento e dispersão.

· Melhoram a eficácia da limpeza.

· Evitam uma contaminação custosa que origina problemas indesejáveis tanto de saúde como tecnológicos.

· Activam os processos de depuração das águas, graças à sua acção contínua em fase posterior à sua aplicação.